24 janeiro 2012

Resenha: Marta

Livro: Marta
Autor: Breno Melo
Editora: Schoba
Páginas: 216
Classificação: ★★★★★ (5/5)
No Skoob 

Sinopse:
Marta é bipolar, adolescente e tenta viver uma história de amor. Um velho psiquiatra, disposto a produzir Literatura leiga e fugir das teses para o meio acadêmico, narra os fatos mais significativos da vida de Marta, abrangendo toda a sua primeira adolescência, até que possa caracterizá-la como bipolar tipo I. O mais original é que ele mostra Marta às voltas com a vida que todos levamos — tentando viver sua própria história de amor — e não apenas com o transtorno em si ou tratando dele.

Sinceramente, não sei como começar essa resenha. A história é fantástica, e o Breno me surpreendeu com esse livro. Porque todas as pessoas que ficam sabendo que o livro é "romance" já espera coisas clichês e etc. Mas é totalmente diferente. A história é toda narrada em 3º pessoa e eu achei ótimo, porque o narrador consegue nos transmitir todos os sentimentos de Marta e não apenas isso, ele dá uma volta na história passando por vários assuntos "diferentes" como mitologia, filosofia e etc. Aliás, alguns pontos do livro, o narrador parece que "conversa" com leitor e a leitura flui rapidamente. Quando você menos espera... o livro acaba :(

Logo no começo do livro, o autor nos informa que podemos ler Marta através de diferentes modos: a popular, a médica, a filosófica e a pessoal. Bem, já dá para imaginar de que modo eu li, não? risos.

Marta é uma garota argentina e bipolar que é apaixonada por seu antigo colega de escola, João. Que também se tornou seu ex-namorado. Os dois viveram uma linda história até que Marta descobriu que ele a traia. Terminaram e a partir desse dia, ela não conseguia pensar em nada sem ser João. Com suas duas melhores amigas, Naila e Sílvia, ela se muda para uma cidade bem perto de sua cida natal, a La Falda. E lá, elas passam a dividir um apartamento e Marta começa a cursar o primeiro ano de Jornalismo. Porém, a personagem principal não conseguia viver normalmente porque, como tantas garotas apaixonas, ela deixara seu coração com  seu amado. Ele praticamente ignora ela até o dia em que, dá um bilhete para Marta com o seu número de telefone. Como de se esperar, ela fica bastante alegre e cheia de esperanças. Mas, isso não resulta em nada. E ela recomeça a chorar, chorar e chorar...
"De fato Marta vinha tendo mais esperanças do que suportava perdê-las e, agora que as tinha perdido, restavam lhe as desilusões e aquele sabor amargo, não na boca, mas na alma, e a sensação de que fazia papel de boba por desejar alguém que já não a desejava."
Página 79, Marta.
O segundo ponto mais alto do livro, é quando Marta narra toda a sua história com João para uma amiga, a Rosana. E assim, o leitor fica sabendo como tudo começou e como teve um trágico fim. No meio da história, Marta adoece e volta para a casa dos pais. Depois de alguns meses vivendo em La Falda, Marta vive o ponto mais alto de todo o livro, o final. E posso garantir que ele é surpreendente. Acho que leitor nenhum, imaginaria o que aconteceria e etc.

Uma coisa que não gostei no livro foi a Marta, chorando por causa de João em quase todas as páginas. Mas, isso não se torna nada, contando a maneira como Breno narra toda a história. É uma leitura supreendente que eu indico para todas as pessoas que desejam livros bons, porém não se pode esperar um livro leve porque essa leitura é daquelas que não paramos de pensar até mesmo quando terminamos o livro. E o melhor: o autor é brasileiro. Isso serve para mostrar que a Literatura Brasileira está crescendo muito e possui livros ótimos.

Breno foi cuidadoso com a escolha da capa do livro. Ela não é aleatória, como eu pensava. Pois possui uma "pista" do conteúdo e desfecho do livro. Mas, para entendê-la, é preciso fazer uma pesquisa sobre a história de seu artista e recomendo que faça isso após a leitura ter sido finalizada, para evitar algum spoiler.

Enfim, acho que a minha resenha não foi muito boa, pelo fato de eu ter amado a leitura e não conseguir expressar ao certo o que achei e detalhar sem spoiler o livro, risos. Porque esse é o problema, quando adoro a leitura, fico empolgada e conto vários spoilers. Então resolvi compartilhar algumas citações que eu separei do livro:
" Talvez de fato a felicidade seja o que as pessoas normais podem ter de mais parecido coma loucura, porque, quanto mais felizes, mais loucas elas parecem. Só por felicidade dança-se sob a chuva, desperta-se a namorada de madrugada para lhe fazer uma serenata, e só por felicidade grita-se de alegria e não de dor.
  Talvez os loucos sejam mais felizes do que pensamos,e nós mais tristes do que eles parecem ser. Eles nos enganam quanto a isso? Quem sabe eles o façam muito bem e não o notemos. Temos limitações para nossas vontades e atos, por que não podemos fazer tudo o que desejamos, nem todos os anseios são confessáveis seundo os limites da sociedade ou conforme aquilo que nos ensinaram como certo ou errado. Os loucos, pelo contrário, passam tais limites e é provável que transponham também as fronteiras da felicidade em sua loucura."
Página 49, Marta.

"Repare, ainda, que nem sempe amamos os rapazes mais bonitos, o que mostra que não amamos exatamente a beleza ou um corpo físico, nem é a beleza, exatamente, o que nos causa amor. Há algo mais, e não há amor sem esse alguinho mais."
Página 84, Marta
Postado por Ana!

13 comentários:

Bárbara Murat disse...

Sua resenha está boa sim! Tanto é que me deixou bem curiosa em relação ao livro.
Já tinha visto várias outras resenhas e minha vontade só vem aumentando. Espero poder lê-lo :)

Beijos.

Jacqueline Braga disse...

uau, sua resenha está ótima menina, fiquei com a maior vontade de saber o que acontece na história!!
Bjos

Jack do @Mybooklit

Renata disse...

Oi!
Adorei a resenha! E confesso que me despertou uma certa curiosidade de ler o livro.. Adorei!
Aproveitando o comentário.. Gostaria de ser parceira do seu blog! Eu era do blog Sobre meus Livros, mais agora tenho o meu próprio blog.. Acabei de começar, mesmo, "inaugurei" ele hoje, rs, espero que isso não interfira em nada.. enfim, sobre a parceria.. mande a resposta pelo post mais recente do blog! Ficarei esperando a resposta!
Beijos, Renata :]

diariodeuma-leitora.blogspot.com

Aione Simões disse...

Oi Ana!
Eu também adorei esse livro, ele me surpreendeu por ir muito além do que eu esperava e por trazer tantas sutilezas nas entrelinhas!
É complicado mesmo resenhas quando gostamos muito de algo.
Beijos

Portifolio das Letras - Juliana Martinelli disse...

nossa me interessei muito, é bem o tipo de livro que gosto, aonde acho pra comprar?

http://portifoliodasletras.blogspot.com/

. pamela moreno santiago disse...

Já viu a promoção que ta rolando solta no blog O Leitor?
Ainda não?
Então corre, que até o dia 05 de Fevereiro você ainda pode concorrer a um dos 6 livros que estão sendo sorteados.
Beijos e espero você lá,

Pamela.

Leitura entre Amigas disse...

Oie Ana sua resenha ficou muito boa, é realmente difícil resenhar um livro que a gente gosta.

Bjs
Amanda

Fran Kukuty disse...

Nossa ótima resenha, achei super interessante a temática do livro e fiquei intrigada com esta narrativa em 3ª pessoa, ñ conhecia o livro mas me interessei mto! Bjo FRAN

Amanda Cristina disse...

Adorei sua resenha! O livro é realmente bem legal e o que dizer do final? Simplesmente surpreendente! Em momento algum achei que teria um final daquele modo e, por ele, posso dizer que daria um filme e um ÓTIMO filme! ;)



Beijinhos, Amanda Cristina.
www.primeiro-livro.com

Carol disse...

Que nada, Ana, sua resenha foi ótima! Bem empolgante, rsrsrs.
Olha, eu fiquei mio divida com a história...também não gosta de garotas que choram em todas as páginas..mas fiquei intrigada em saber o significado da capa! Quem é o pintor?

Bjos!

Conselheiro disse...

Resenha maravilhosa.
http://livroserabiscos.blogspot.com

Mateus Noremberg disse...

Ficou muito boa a resenha! Parabéns! Eu sei o quanto é difícil fazer uma resenha quando gostamos do livro. Queremos contar tudo, mas se fizermos isso, irá resultar em vários spoilers. A história parece ser bem legal. Concordo com você: a literatura brasileira está, cada vez mais, com ótimos títulos.

Mateus Noremberg - Livros Preciosos

Ana Terra disse...

Hey, Carol! Se não me engano, foi a última obra de Vincent van Gogh (: Beijos

Postar um comentário